Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 23 de junho de 2010

As Bases Filosóficas da Nova Psicologia: POSITIVISMO, MATERIALISMO e EMPIRISMO

Em meados do século XIX, 200 anos após a morte de Descartes, terminava o longo período da psicologia pré-científica. Nessa época o pensamento filosófico europeu foi impregnado por um novo espírito: POSITIVISMO.

Positivismo:
doutrina que reconhece somente os fenômenos e fatos naturais observáveis de forma objetiva.

Auguste Comte ( 1798 - 1857) foi o principal nome do Positivismo.

Comte viveu num tempo intermediário entre o apagar das luzes do iluminismo e a era das grandes generalizações em ciência, um tempo em que o mundo natural parecia acessível à força do intelecto, no culminar do pensamento mecânico da Revolução Industrial. Auguste Comte (1798-1857) morreu dois anos antes de Darwin publicar "A Origem das Espécies", em 1859. Também não viveu o suficiente para ver a publicação de "O Capital" (1867-1894), por seus contemporâneos Karl Marx e Friedrich Engels, embora tivesse visto o "Manifesto Comunista". Esse pequeno contexto histórico ajuda a entender a filosofia de Comte.

Não é justo julgar o passado com os critérios do presente, como não faz sentido orientar presente com critérios que não mais se aplicam às novas circunstâncias, como é o caso do positivismo. Comte, por exemplo, desconfiava da introspecção como meio de se obter o conhecimento, pois a mera observação altera e distorce estes estados, e insistia na objetividade da informação. Esse princípio orientou o trabalho dos psicólogos behavioristas do século vinte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário